• 13 de março de 2020

Divaldo Franco fala sobre o seu sentimento com relação à Ponta Grossa; o COVID-19; o grande desafio do ser humano e a mensagem de Jesus.

Ponta Grossa (12-03-2020)

Entrevistado pela TV local, Divaldo Franco respondeu questões sobre o seu sentimento com relação à Ponta Grossa; o COVID-19; o grande desafio do ser humano e a mensagem de Jesus.

Após bela apresentação do Coral Vozes de Francisco e com cerca de 2 mil pessoas que lotaram o auditório, Divaldo Franco, realizando um passeio pelos fatos marcantes da humanidade, ressaltou a necessidade de os conhecer para refletir, a fim de melhor compreender a realidade dos dias atuais.

Um dos fatos marcantes aconteceu na casa de Simão Pedro: Jesus havia procedido as curas durante todo o dia, notadamente a de Natanael Ben Elias. Ali estavam as necessidades humanas e suas aflições. A multidão, como na atualidade, estava ansiosa pela cura. Vendo-O cansado, Pedro dispersou a multidão ao entardecer e levou o Mestre a descansar à beira do mar da Galileia, naquele lugar Jesus chorou. Pedro imaginou que Jesus chorava de alegria. No entanto, o Mestre lhe diz que era por compaixão, pois aqueles que haviam sido beneficiados pela cura estavam se perdendo novamente nos desvãos da moralidade e da iniquidade.

Para o êxito das curas, é necessário que o ser humano creia para poder conquistar qualquer objetivo. Crer é uma proposta terapêutica. Simão Pedro, como os que foram curados, também não compreenderam o sentido. Jesus não veio para curar as feridas do corpo, mas as da alma.

O Espírito de Verdade veio para restaurar a mensagem do Cristo, trazendo conhecimentos novos, e a sublime mensagem do amor alcança os ouvidos e os corações dos que O escutam. Jesus veio para amar e trouxe a sua mensagem de amor para que o homem deixasse os pântanos das emoções descontroladas, ensinando que os bens imperecíveis são os do Espírito imortal.

O amor é inspirador da busca de um sentido profundo e transcendental para a vida, encaminhando o ser humano para alcançar o discernimento e a capacidade de distinguir o bem do mal. O amor deve ser sempre o ponto de partida de todas as aspirações e a etapa final de todos os anseios humanos.

A Doutrina Espírita convida a criatura humana a estabelecer profundas reflexões sobre a vida, suas existências e o potencial que cada uma possui para melhorar-se moralmente.

Destacando a imortalidade, o Embaixador da Paz evidenciou o trabalho contínuo que muitos Espíritos pioneiros de Ponta Grossa, já desencarnados, continuam incessantemente realizando, sentindo-se felizes por poder auxiliar o próximo. Ame a vida com serenidade, sem pânico, está na hora de abraçar a caridade, é hora de não reclamar, de não pedir nada, mas de agradecer, de ser grato por tudo e todos.

Fotos: Jorge Moehlecke
Texto: Paulo Salerno
Edição: Mansão do Caminho

Mansão do Caminho
© 2000-2019 Mansão do Caminho. Todos os direitos Reservados